X

0 Comentários

Artigos

Sadô

Câmera clara

Por Luiz Joaquim | 23.02.2015 (segunda-feira)

O cineasta novaiorquino Radley Metzger, hoje um senhor de 86 anos, deve dar gargalhadas quando ouve falar das polêmicas sexuais em torno do que é mostrado no cinematograficamente juvenil “Cinquenta Tons de Cinza”. Há exatos 40 anos, Metzger lançou um filme que provocou estranhamento e foi “enterrado” pelo mercado. Passou, então, a circular como uma peça cult e poucos tiveram acesso. Chama-se “The Image” (1975), mas também é conhecido pelos títulos alternativos “The Punishment of Anne” (O Castigo de Anne) e “The Mistress and the Slave” (A amante e a escrava). Baseado num romance sadomasoquista escrito em 1956 por Catherine Robbe-Grillet – mas publicado sob o pseudônimo de Jean de Berg – a história segue o escritor de meia-idade Jean (Carl Parker) que acaba se envolvendo nos jogos sadomasoquistas da amiga Claire (Marilyn Roberts) e por ela conhece a jovem e deslumbrante Anne (Rebecca Brooke, na época namorada do diretor) de quem fazem de escrava sexual, com seu consentimento. Aqui não romances, nem maquiagens. O drama é consistente e as dores do prazer ajudam nesse processo.

Críticos
Às 21h30 de hoje no Canal Brasil, o programa “Espelho” apresentando pelo ator Lázaro Ramos, recebe duas gerações de críticos de cinema: José Carlos Avellar e Rodrigo Fonseca. A conversa com o anfitrião Lázaro Ramos passa por temas como a subjetividade da crítica, os sucessos de bilheteria e o início de suas carreiras. O tom do apresentador neste 9ª temporada continua sendo o de despertar o melhor pensamento no entrevistado – e também no espectador. Lázaro encerra cada programa narrando um dos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Cinza$
Era um notícia esperada. O drama erótico “Cinquenta Tons de Cinza” é o lider do período no mercado exibidor. O filme dirigido pela londrina Sam Taylor-Johnson amealhou apenas no mercado norte-americano a quantia de US$ 85,1 milhões (até agora), tendo custado menos da metade disso. No resto do mundo, a história vivida pelos atores Dakota Johnson e Jamie Dornan teve o melhor desempenho histórico em 11 países.

Terror
Próximo sábado tem “Cineclube Toca o Terror” no auditório do MAMAM. A sessão apresentará cinco curtas-metragens a partir das 16h com entrada gratuita. Quatro deles são inéditos no Recife e foram feitas por realizadores independentes nacionais. Os filmes: “Revelações de um Cineasta Canibal”, de Rodrigo Aragão; “Judas”, de Joel Caetano; “A Cor Que Caiu do Espaço”, de Petter Baiestorf; “Mal Passado”, de Julio Wong; “O Desejo do Morto”, de Ramon Porto Mota.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade