X

0 Comentários

Festivais

20o Cine-PE (2016) – noite 2 (curtas)

o personagem e o seu lugar

Por Luiz Joaquim | 05.04.2016 (terça-feira)

A relação das pessoas com o lugar que ocupam, física e simbolicamente, ditou as sessões da categoria competitiva dos curtas nacionais na noite da última terça no 20o. Cine-PE: Festival do Audiovisual. Abrindo a noite, Mais 1 Brasileiro, de Gustavo Moraes, é um curta-metragem do gênero musical sobre um taxista que precisa cuidar sozinho da filha depois do falecimento de sua esposa. Enquanto tenta arranjar um novo emprego para dar conta das despesas, tem que lidar com a falta de sensibilidade do seu chefe e dos seus desagradáveis clientes.

Apesar da sinopse, o filme tem uma visão esperançosa sobre uma sociedade que a princípio parece ter perdido o valor da empatia. O artifício do musical dinamiza o roteiro, mas parece tecnicamente mal encaixado, surgindo bruscamente e causando certo estranhamento em alguns momentos.

This is not a song of hope, de Daniel Aragão, carrega uma visão mais pessimista da relação das pessoas com os lugares que ocupam. O curta nos apresenta três personagens: uma arquiteta holandesa (Christiana Ubach), retratada, de maneira um pouco infeliz, como uma mulher sexualmente frustrada, uma atriz de certa forma cínica (Bianca Joy Porte) e um músico que tem uma relação ambígua com sua cidade (Felipe Abib). As três trajetórias se cruzam no Recife.

Seus personagens estão em processo de deslocamento, ou mesmo fuga, tanto geográfica quanto interior: a primeira vem para a cidade estudar sua arquitetura colonial – porém a narrativa sugere mais uma busca pessoal do que profissional, a segunda deixa sua casa no Rio de Janeiro, a princípio a contragosto, diante de um pedido de noivado e o terceiro revolta-se com o Recife por não encontrar nele o reconhecimento que julgava merecer como artista.

Se as referências autobiográficas existem ou não, não se sabe, mas não é difícil perceber traços da autoria de Daniel, principalmente quando se trata da sua forma de representar a figura feminina: um olhar encantado porém equivocado e pouco sensível no que diz respeito a sexualização do corpo da mulher.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade