X

0 Comentários

Festivais

32° Cine Ceará (2022) – Selecionados

O festival acontece de 7 a 13 de outubro com formato 100% presencial em Fortaleza

Por Yuri Lins | 02.09.2022 (sexta-feira)

 – com informações da assessoria do Cine Ceará

A pandemia de Covid-19 e a crise econômica afetaram profundamente o Brasil e os demais países ibero-americanos. Contudo, os dilemas surgidos foram combustível para o surgimento de novos filmes que tentam refletir sobre o presente, por vezes utilizando o poder de fabulação e da fantasia. O 32º Cine Ceará, que ocorre de 7 a 13 de outubro, em formato presencial, traz uma programação que busca dar unidade à heterogeneidade de olhares e temáticas que atravessam os filmes selecionados.  Ao todo, 18 longas e curtas estão em competição nas principais mostras do evento – as Mostras Competitivas Ibero-americana de Longa-metragem e Brasileira de Curta-metragem – e serão exibidas no Cineteatro São Luiz.

Na Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem, dois dos oito longas são nacionais: “A Filha do Palhaço”, ficção do diretor Pedro Diógenes, que conta a história de Joana, uma adolescente de 14 anos que acompanha o pai, o humorista Renato, por seus shows em churrascarias, bares e casas noturnas de Fortaleza; e “O Acidente”, filme dirigido por Bruno Carboni, que narra um acidente com a ciclista Joana e o encontro dela com a família do motorista.

Também estão na competição de longas “Lo Invisible”, de Javier Andrade, selecionado pelo Governo do Equador para representar o país no Oscar 2023, “La Piedad”, filme espanhol de Eduardo Casanovas, premiado pelo júri no Festival de Cine de Karlovy Vary e eleito o Melhor Filme Internacional no 26º Festival Internacional Cine Fantasia (Montreal), e “Niños de Las Brisas”, de Marianela Maldonado, documentário filmado ao longo de uma década que acompanha a trajetória de três jovens venezuelanos para se tornarem músicos profissionais no conceituado “El Sistema”, cujo modelo de ensino foi adotado por diversos países europeus, e que formou músicos como o renomado maestro Gustavo Dudamel. “Green Grass”, coprodução Chile-Japão dirigida por Ignacio Ruiz, “Vicenta B”, do cubano Carlos Lechuga, e o argentino “Las Cercanas”, de María Álvarez, completam a seleção de longas-metragens.

Para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem foram selecionadas 10 produções de sete estados do Brasil. Entre os escolhidos, “Big Bang”, de Carlos Segundo, produzido em Minas Gerais, eleito o Melhor Filme na categoria Curta de Autor no 75º Festival Internacional de Cinema de Locarno, na Suíça. Também de Minas está o suspense/terror “Cemitério das Flores”, de Rafael Toledo. “Celeste (Sobre Nós)”, dirigido por Natália Araújo, foi produzido em Pernambuco, e “Elusão”, de Taís Augusto, no Ceará. “Infantaria”, de Laís Santos Araújo, é o alagoano selecionado e “O Último Domingo”, de Joana Claude e Renan Barbosa Brandão, representa o Rio de Janeiro na mostra.

Também estão na lista dos curtas quatro documentários: “Alexandrina – Um relâmpago” (AM), da artista visual e cineasta Keila Sankofa, sobre Alexandrina, mulher preta da Amazônia filha de negros escravizados; “Camaco” (MG), de Breno Alvarenga, sobre um dialeto secreto que surge como forma de resistência de mineradores numa cidade no interior de Minas Gerais; “Contragolpe” (BA), de Victor Uchôa, sobre a importância do boxe na periferia de Salvador; e “Filhos da Noite” (PE), que acompanha as memórias e vivências de oito homens gays entre 50 e 70 anos.

Além da competição oficial, os curtas-metragens concorrem ao Prêmio Canal Brasil de Curtas. O prêmio tem como objetivo incentivar a produção audiovisual. O júri, composto por jornalistas e críticos de cinema, escolhe o melhor filme em competição, que recebe o Troféu Canal Brasil e R$15 mil.

OS LONGAS DA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA  

A Filha do Palhaço. Direção: Pedro Diógenes. Ficção. 104’. Brasil. 2022. 12 anos.

Green Grass. Direção: Ignacio Ruiz. Ficção. 100’. Chile-Japão. 2022. 16 anos.

La Piedad / A Piedade. Direção: Eduardo Casanovas. Ficção. 80’. Espanha-Argentina. 2022. 16 anos.

Las Cercanas / Inseparáveis. Direção: María Álvarez. Documentário. 81’. Argentina. 2021. Livre.

Lo Invisible / O Invisível. Direção: Javier Andrade. Ficção. 85’. Equador-França. 2021. 18 anos.

Niños de Las Brisas / Meninos de Las Brisas. Direção: Marianela Maldonado. Documentário. 100’. Venezuela-Reino Unido-França. 2021. 12 anos.

O Acidente. Direção: Bruno Carboni. Ficção. 95’. Brasil. 2021. 14 anos.

Vicenta B. Direção: Carlos Lechuga. Ficção. 77. Cuba-França-EUA-Colômbia-Noruega. 2021. 12 anos. 

 OS CURTAS DA COMPETITIVA BRASILEIRA  

Alexandrina – Um Relâmpago. Direção: Keila Sankofa. Documentário. 11’. Amazonas. 2022. Livre. 

Big Bang. Direção: Carlos Segundo. Drama. 13’. Minas Gerais. 2022. 12 anos.  

Camaco. Direção: Breno Alvarenga. Documentário. 14’. Minas Gerais. 2022. Livre. 

Celeste (Sobre Nós). Direção: Natália Araújo. Ficção. 19’. Pernambuco. 2022. 12 anos.  

Cemitério de Flores. Direção: Rafael Toledo. Suspense/terror. 19’. Minas Gerais. 2022. 16 anos. 

Contragolpe. Direção: Victor Uchôa. Documentário. 16’. Bahia. 2022. Livre. 

Elusão. Direção: Taís Augusto. Ficção. 22’. Ceará. 2022. Livre. 

Filhos da Noite. Direção: Henrique Arruda. Documentário. 15’. Pernambuco. 2022. 12 anos. 

Infantaria. Direção: Laís Santos Araújo. Ficção. 24’. Alagoas. 2022. 12 anos. 

O Último Domingo. Direção: Joana Claude e Renan Barbosa Brandão. Ficção. 17 min. Rio de Janeiro. 2022. Livre. 

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade