X

0 Comentários

Reportagens

Perspectiva 2007

O ano das seqüências

Por Luiz Joaquim | 01.01.2007 (segunda-feira)

Por afinidade administrativa com as grandes
distribuidoras internacionais e por exigência do
mercado, as representantes no Brasil da Columbia
Pictures, Buena Vista International, Fox, UIP, Warner
e outras distribuidoras menores como a PlayArte,
Downtown, California e a Europa Filmes já
disponibilizam a agenda de alguns de seus lançamentos
durante o ano que inicia hoje. Por essa agenda, a
Folha de Pernambuco adianta ao seu leitor uma previsão
dos lançamentos de maior destaque no cinema nos
próximos 12 meses. Com poucas margens de erro, você
verá os seguintes filmes nos respectivos meses, anote
aí:

JANEIRO
Ainda no ritmo de férias escolar, as crianças são os
alvos neste mês. A começar pela animação “O Mar não
está para Peixe”, que seria uma espécie de versão
coreana para “Procurando Nemo”. “Uma Noite no Museu”,
com Ben Stiller vendo os animais e insentos de um
museu natural ganharem vida também deve agradar os
pequenos. Grande atenção deve receber “Babel”, do
mexicano Alejandro Iñárritu, costurando quatro
história pelo mundo, com Brad Pitt no elenco. A
estrela que aparece na seqüência é Denzel Washingotn
em mais uma produção com Tony Scott: “Deja Vú”. Ainda
no quesito ação, “Apocalypto”, de Mel Gibson ressurge
agora focando o império Maia. Haverá espaço também
para o romance através do australiano “Candy”, com
Heath Ledger.

FEVEREIRO
Já objetivando o Oscar 2007, começam a estrear os
potencialmente “oscarizáveis” (lista de indicados sai
dia 23 de janeiro). “Hollywoodland: Bastidores da
Fama”, alguns dizem, pode dar a estatueta a Ben
Affleck (que já levou prêmio em Veneza) por
interpretar George Reeves, o primeiro a viver o
Super-Homem na TV, nos anos 1950. Nesse sentido, Clint
Eastwood aparece com dois filmes: “A Conquista da
Honra” e “Cartas de Iwo Jima”. Já Kate Winslet deve
chamar atenção como uma viciada em pornografia em
“Pecados Íntimos”. Em “O Último Rei da Escócia”, com
Forest Whitaker e em “Borat”, a polêmica é política,
neste último acontece através do repórter do
Kazaquistão cobrindo o comportamento dos americanos
nos EUA.

MARÇO
Sylvester Stallone ressurge das cinzas, ou melhor, seu
ilustre personagem em “Rocky Balboa”, agora aposentado
mas, uma vez precisando de dinheiro, resolve encarar
lutas marcadas. O grande lançamento do mês é a
megaprodução “300”, baseado nos quadrinhos de Frank
Miller, situado no ano 480 a. C. e com Rodrigo Santoro
no elenco. As mulheres são destaque em “Maria
Antonieta”, versão de Sofia Coppola para a história da
adolescente rainha da França. Na trilha sonora: New
Order. Nikole Kidman dá as caras em “A Pele”, vestindo
a roupa da fotógrafa americana Diane Arbus, que
gostava de registrar coisas bizarras. Jim Carrey
aparece como um cara obcecado pelo número 23 no
suspense “The Number 23”.

ABRIL
O mês começa rindo com Rowan Atkinson em “As Férias de
Mr. Bean”, e depois com medo apresentando a versão
jovem do canibal Hannibal em “Hannibal: O Início”.
Gong Li está no elenco. A Disney aparece com a
animação “A Família do Futuro”, com um menino que
inventa uma máquina para recuperar memórias
esquecidas. “Luck You” mostra Eric Bana como um
jogador de pôquer visando o campeonato mundial.

MAIO
A Columbia será a dona do mês com “Homem Aranha 3”. Em
paz com a namorada, o aracnídeo enfrenta agora o
Homem-Areia e a Gata Negra. Outro arrasa-quarteirão
deve ser “Piratas do Caribe: No Fim do Mundo”,
terceiro episódio da saga do pirata Jack Sparrow. Fora
deste gênero, vem o delicado “Martian Child”, trazendo
Joan Cusack como escritor que, um dia, foi um menino
excluído.

JUNHO
Esquentando para as férias da escola, chega “Shrek
Terceiro”, quando o ogro é escolhido para ocupar o
trono do falecido rei, pai de Fiona. “Harry Potter e A
Ordem do Fênix” também vai estimular a garotada. Outro
destaque está na continuação de “O Quarteto
Fantástico” que agora encontra o Surfista Prateado.

JULHO
O mês será da continuação de “Todo Poderoso”. Sem Jim
Carrey, mas com Morgan Freeman, “A Volta do Todo
Poderoso” dá espaço para o ótimo Steve Carrel (de “O
Virgem de 40 Anos”) fazer graça. Junto a ele, teremos
a animação “Ratatoullie”, com o ratinho francês Remy,
de gosto refinado.

AGOSTO
Um animação deverá levar multidões ao cinema: “Os
Simpsons”, ao mesmo tempo em que Bruce Willis volta ao
personagem que o projetou no cinema, o detetivo John
McClane em “Dura de Matar 4”. Haverá mais ação com a
quadrilha liderada por George Clooney que volta a se
reunir em “Ocean’s Thirteen”.

SETEMBRO
Jack Chan e Chris Tucker voltam à ativa em “A Hora do
Rush 3”. É a hora também de “I Now Pronounce You Chuck
and Larry”, primeira comédia inspirada pelo romance
gay de “Brokeback Mountain”.

OUTUBRO
Chega a seqüência de “Sin City”, e a refilmagem de um
clássico do gênero trash: “Hairspray”, originalmente
dirigido em 1988 por John Waters (que roteiriza a nova
versão). A direção agora é de Adam Shankman. Teremos
também a animação “Tá Dando Onda”, defendendo que o
surfe foi criado pelos pingüins.

NOVEMBRO
É lançado “Beowulf”, com direção de Robert Zemecks,
sobre um guerreiro escandinavo que precisa enfrentar
um monstro. Buscando arregimentar fãs, vem a
continuação de “Alien VS Predador”

DEZEMBRO
Férias significa animação. Teremos “Bee Movie: A
História de Uma Abelha”. A protagonista será dublada
pelo comediante Jerry Seinfeld. Uma mistura de
documentário e ficção, dirigida por Luc Jacques (de “A
Marcha dos Pinguins”) registra a amizade entre uma
garota e uma raposa em “The Fox and The Child”. A
Disney volta às origens com “Encantada”, retratando a
história de uma princesa que se apaixona por um
príncipe, e sofre com a mãe, uma rainha que usa de
magia negra para fazer o mal.

———————————————-
Brasileiros vão encher as telas em 2007

LUIZ JOAQUIM

Parece que uma sedimentação da produção
cinematográfica brasileira está tomando corpo. Se
considerarmos a programação de obras nacionais para o
ano (e se ela for cumprida) o cinema brasileiro será
muito visto em 2007. A começar por “Os Porralokinhas”,
filme de Lui Farias que resgata as aventuras do Tio
Maneco, personagem consagrado por Flávio Migliaccio
nos anos 70 (no cinema e na TV) que ainda vive na
memória daqueles com mais de 35 anos. Tio Maneco
retorna aqui com o Migliaccio também no elenco.

Ainda em janeiro teremos “A Casa da Mãe Joana”,
comédia de Hugo Carvana com Paulo Betti e Pedro
Cardoso no elenco. Sucesso mesmo deve fazer “A Grande
Família: O Filme”, arrastando os fãs da série
televisiva aos multiplex.

Em fevereiro, o documentário “Pro Dia Nascer, Feliz”,
de João Jardim, consagrado no Cine-PE 2006, entra em
cartaz. Maurício de Souza também dá as caras com a
animação “A Turma da Mônica em Uma Aventura no
Espaço”. Tem também “Antônia”, filme de Tata Amaral
que, apesar de homônimo a série de Rede Globo, tem
idéias diferentes.

No mês de março, Bruno Barreto ressurge com “Caixa
Dois”, uma pretensa comédia criada a partir das
notícias de corrupção que assolaram o primeiro governo
Lula. Já “O Magnata”, de Johnny Araújo, promete boa
qualidade. Traz uma história sobre adolescência
“perdida” roteirizada por Chorão, do grupo Charlie
Brown Jr.

Domingos Oliveira finalmente lança seu “Carreiras”,
premiado em Gramado 2005. O pernambucano Heitor Dhalia
também joga no mercado seu segundo longa, consagrado
no RioBR 2006, “O Cheiro do Ralo”. Selton Mello
protagoniza.

Em maio veremos a estréia de Miguel Falabella
dirigindo um filme: “Polaróides Urbanas”. Na realidade
é mais uma adaptação de uma peça teatral (“Como encher
um biquini selvagem”, do próprio Falabella) para o
cinema. Marília Pêra está escalada para atuar.

Boas expectativas podemos ter por “Querô”, filme de
Carlos Cortez, com roteiristas de pedigree: Bráulio
Mantovani e Luiz Bolognesi. Fala de um adolescente que
vive independente no porto de Santos. História é
inspirada na obra de Plínio Marcos.

O respeitado Jorge Furtado retorna em julho com
“Saneamento Básico”, novamente trabalhando com Lázaro
Ramos e Fernanda Torres. Agosto será um mês especial
para o cinema nacional. Veremos a diva da Vera Cruz,
Tônia Carrero, de volta na tela por “Chega da
Saudade”. O filme de Laís Bodanzky (de “Bicho de 7
Cabeças”) traz também outros craques da terceira
idade.

Ainda neste mês, Marcos Palmeiras aparece como “O
Homem que Desafiou o Diabo”. É o diretor Moacyr Góes
agora tentando tirar proveito da cultura do cordel.

Setembro marcará a produção de um mestre do cinema
nacional. Walter Lima Jr. lança seu “Os Desafinados”.
Um projeto antigo que traz o já aclamado
internacionalmente Rodrigo Santoro. Ele faz um músico
junto a Selton Mello. A ficção nos leva aos 60 e conta
como nasceu a Bossa Nova.

Daniel Filho também não podia deixar de lançar sua
versão para “O Primo Basílio”, de Eça de Queiroz, que
deve estar preocupado no túmulo pois o diretor e
roteirista já alterou o original cenário de Lisboa
para São Paulo, em 1958, para contar o clássico caso
de adultério. Estréia no dia dos mortos, 2 de
novembro.

Os esperados pernambucanos “Baixio das Bestas” (foto), de
Cláudio Assis, e “Deserto Feliz”, de Paulo Caldas,
ainda não têm data de estréia.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade