X

0 Comentários

Festivais

11ª Mostra de Tiradentes (2008) – encerramento

Cinema do Ceará sai da mostra como grande vencedor

Por Luiz Joaquim | 28.01.2007 (domingo)

TIRADENTES (MG) – O cinema cearense saiu como grande vencedor da 11a Mostra de Cinema de Tiradentes. “Sabado a Noite”, de Ivo Lopes Araujo levou o premio de melhor longa-metragem e “O Grao” de Petrus Cariry ganhou o premio de destaque livre da critica entre os sete concorrentes da Mostra Aurora, que contemplava diretores estreantes. Embora o carater do evento seja de nao-competicao, ou seja, sem premios em dinheiro (mas com material de filmagem e servicos para os vencedores), o maior reconhecimento dos dois filmes foi chamar a atencao de toda a comunidade cinematografica presente na mostra para o surgimento da producao do Ceara como uma “cena”, um polo com producao consistente e olhar diferenciado. O estado ainda ganhou um terceiro premio, como melhor curta metragem do juri popular, com “Camera Viajante”, de Joe Pimentel. Os demais contemplados foram o gaucho “Ainda Orangotangos” (melhor longa pelo juri jovem), o video mineiro “A hora do Primeiro Tiro” (juri popular), o curta carioca “A Cidade e o Poeta” (2o. lugar no juri popular) e o longa paraibano sobre Ariano Suassuna “O Senhor do Castelo” (melhor longa pelo juri popular).

Um detalhe curioso do fim do festival e que o filme mais aplaudido e aceito pelo publico nao estava em nehum dos subtemas da progamacao oficial. Foi o longa-metragem de encerramento “Estomago”, de Marcos Jorge. A trama mostra a vida de um nordestino, Raimundo Nonato, que “tenta a vida” em Sao Paulo e decobre um dom insispeiito para a culinaria. Mesmo com todo o esmero tecnico e o apelo popular, o filme mostra um ranco preconceituoso e explorador do cliché do nordestino ignorante, que, ao perder o controle, resolve suas diferencas com uma faca peixeira. Na sexta-feira a noite, os longas-metragens exibidos foram “Otavio e as Letras”, de Marcelo Masagao, “Meu Nome e Dindi”, de Bruno Safadi (RJ), vencedor do Juri da Critica, “PQD”, de Guilherme Coelho e “Nome Proprio”, de Murilo Salles.

DEBATE – A tarde do sabado foi dedicada a uma discussao mais aprofundada dos filmes da Mostra Aurora, na qual concorreram os longas pernambucanos “Amigos de Risco”, de Daniel Bandeira e “Critico”, de Kleber Mendonca Filho. No entanto, o que deveria ser um debate rico sobre o olhar e a condicao do estreante, com a presenca de todos os diretores acabou sendo desperdicado pelo desvio do tema, com direito a animos exaltados entre diretores e publico. As discussoes esteticas e de motivacao pessoal dos diretores para mostrar seu trabalho foram substituidas por uma discusao repetitiva e truncada sobre a necessidade de edtais de baixo orcamento e a falta de apelo publico do cinema brasileiro.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade