X

0 Comentários

Artigos

Cine Rosa e Silva

Câmera Clara 65

Por Luiz Joaquim | 30.04.2007 (segunda-feira)

Nem São Luiz nem Chanteclair. A próxima sala a operar com filmes alternativos no Recife já existe e aguarda o lançamento de seu novo perfil para o dia 18 de maio. Trata-se de uma das três salas no Grupo Empresarial Executive Trade Center (ETC), que abrigam os Cine Rosa e Silva (na avenida de mesmo nome, número 1460, airro da Jaqueira). O espaço será identificado pelo nome “Sala Fernando Spencer” e disponibilizará, diariamente, suas duas últimas sessões para obras cinematografias com apelo diferenciado. A jornalista e produtora cultural, Carol Ferreira, foi convidada para ser a curadora da programação e abre a casa com chave de ouro: vai lançar “Maria” (EUA, 2005) novo filme do eterno enfant terrible novaiorquino, Abel Ferrera, 56 anos, que nos apresenta uma atriz (Juliete Binoche) que interpreta Maria Madalena num filme e continua impregnada da personagem pós as filmagens, o que a leva até Jerusalém. Enquanto isso, o diretor do filme (Matthew Modine), que interpretou Jesus Cristo, aproveita-se da polêmica para ivulgar a obra e ganhar dinheiro, dando vazão a seus impulsos narcisísticos. Há ainda um jornalista ateu e ambicioso (Forrest Whitaker de “O Último Rei da scócia”), em grave crise pessoal, que se aproveita de todos em seu programa sobre fé, em busca de audiência. Polêmica à vista.

——————————————————————-

Pillar

Ao agradecer, no palco, a homenagem que recebeu no 11° Cine-PE na noite de terça-feira, a atriz Patrícia Pillar soltou que estava num processo novo na carreira, pela primeira vez do outro lado da câmera. Ela toca o projeto de um documentário sobre o cantor Waldick Soriano. Vamos aguardar.
——————————————————————-

Graça Araújo

A apresentadora oficial do Cine-PE, a jornalista Graça Araújo, tenta mas não consegue evitar as gafes. Só na quinta-feira foram duas: errou três vezes a pronúncia do nome do diretor de “Não por Acaso”, Phelippe Barcinski, e disse que após o filme todo mundo podia agarrar o Rodrigo Santoro. Na sexta-feira, mais duas mancadas: Trocou o nome do curta pernambucano “Eisenstein” por “Einstein”, e convidou, insistentemente, todos os fotógrafos a vir ao palco tirar fotos da “maior platéia do Brasil”.

——————————————————————-
Aranha

“Homem Aranha 3” estréia nessa sexta-feira e o filme produzido pela Columbia Pictures e distribuído pela Buena Vista International não promoverá sessão cabine
prévia para a imprensa nessa semana. Bons entendedores sabem que isso é um mau agouro.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade