X

0 Comentários

Reportagens

Zé do Caixão vem da Terceira Força (1999)

Quando o enviado da Terceira Força veio ao Recife, em 1999, contou de um projeto de horror com indigentes

Por Luiz Joaquim | 19.02.2020 (quarta-feira)

Publicado originalmente no Jornal do Commercio (Recife) – Caderno C  – em 7  de dezembro de 1999 

 “Quando Deus entrou em conflito com Lúcifer, formaram-se dois grupos de seguidores: um trilhou o bem e vive na companhia divina; o outro preferiu o mal e queima no inferno até hoje. Mas havia também aqueles que não aceitavam nenhuma das duas facções. Esses foram parar no Universo da Terceira Força e lá vivem com suas deformações. Infelizmente, para os mortais, alguns dessas criaturas caíram na terra como Nostradamus, Hitler e Raul Seixas”. Quem faz a revelação é Zé do Caixão, outro enviado do Universo da Terceira Força, que faz uma perfomance, às 22h de hoje, na última festa das Noites do Terror, no Playcenter.

Quem escuta falar no nome de José Mojica Marins pode não fazer relação com aquela figura estranha, de cartola e barba, que usa um sobretudo negro e de unhas imensas, mas é ele o criador de (e o próprio) Zé do Caixão – o mais medonho personagem criado na cinemamotagrafia brasileira. Mojica Marins diz que não pode revelar o que reserva para o público da hoje, mas adianta que um ritual macabro vai tomar conta da festa e uma desgraça vai deixar os visitantes e as Guardiãs da Terceira Força (as atrizes Graciele Libório e Cláudia Guedes) em total desespero.

Entre atuar, dirigir e produzir o autor dos clássicos À Meia-noite Levarei tua Alma e Esta Noite Encarnarei no teu Cadáver já tem mais de 150 filmes no currículo. “Vale ressaltar que toda produção de minha carreira foi realizada de forma independente. Estou trabalhando no roteiro de Encarnação do Demônio, o filme que deve encerrar a trilogia iniciada em 63 com A Meia-noite Levarei…”. Segundo Mojica, esse longa só vai poder ser realizado porque jornalistas que admiram sua obra estão fazendo uma cota para bancar a produção.

Desde outubro do ano passado, um concurso foi promovido para Mojica determinar o elenco para seus futuros trabalhos. “Entre os candidatos foram selecionados Rubem Melo, um jovem roqueiro, com seus 25 anos, para o qual pretendo criar uma personagem e usá-lo em um curta-metragem que vou rodar no próximo ano”, conta. Antes disso, em janeiro próximo, Mojica vai estar envolvido com o vídeo Adolescência em Conflito, enfocando a juventude. “A ideia para enredo surgiu de um caso que aconteceu com minha filha. Aos 16 anos ela estava sofrendo com a abordagem de traficantes de drogas na escola. Resolvi contar a história de uma menina que vem do interior e acaba vivendo uma situação parecida. Entre fevereiro e março devo fazer outro filme mostrando o terror dos indigentes que moram embaixo da ponte”.

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade