X

0 Comentários

Festivais

20o Cine-PE (2016) – seleção

Festival pernambucano divulga filmes em competição

Por Luiz Joaquim | 20.04.2016 (quarta-feira)

De 2 a 8 de maio, festival exibe seis longas e 18 curtas em suas três mostras competitivas

O Cine PE chega à 20ª edição e, em 2016, será realizado mais uma vez no Cinema São Luiz, para onde voltou no ano passado. Longas de ficção e documentários estarão juntos na Mostra Competitiva de Longas-Metragens, que reúne seis filmes nacionais, com diversas estreias no Brasil. A Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos apresenta nove filmes e a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais, nove.

Todas as sessões e a cerimônia de encerramento serão no Cine São Luiz, construído em 1952 no bairro da Boa Vista, às margens do Rio Capibaribe. Tombado como patrimônio histórico e revitalizado em 2008, é um dos últimos grandes cinemas de rua do país e tem capacidade para mil pessoas. A sede do festival será no Hotel 7 Colinas, em Olinda, onde acontecerão os debates e seminários. Os debates dos filmes serão sempre na manhã seguinte à exibição e os seminários/wokshops ocuparão o período da tarde, tratando de temas atuais que envolvem o setor do audiovisual. Entre eles, destaque para uma sessão relativa aos resultados do mais recente Rio Content Market, com o apoio do BNDES.

Realizado por Alfredo Bertini e Sandra Bertini, sócios da produtora BPE, o 20º Cine PE tem curadoria do jornalista e crítico de cinema Rodrigo Fonseca (composição das Mostras de Longas e Curtas Metragens Nacionais) e de Sandra Bertini (composição da Mostra de Curtas Pernambucanos). Alfredo Bertini reforça que a vocação do Cine PE consiste na celebração do cinema de forma plural, com produções que buscam uma identificação direta com o espectador, mas sem abrir mão dos filmes autorais. “Conceitualmente falando, um Festival precisa assumir o perfil característico da produção, que é a diversidade, ou seja, uma aposta nas variadas tendências. Limitar-se a uma modelagem única, na qual a programação expressa um padrão linear, é bem mais uma característica de Mostra de que de um Festival.”

Inscreveram-se este ano 575 filmes, sendo 501 curtas e 74 longas. “Tive o prazer de assistir a 31 curtas pernambucanos, nas diversas categorias. Jovens talentos estão surgindo no nosso cinema. Surpreendeu-me observar o quão universal estão os projetos produzidos por estes jovens. Fala-se de ‘estiagem’, de ‘seca’, mas também se produz roteiros ricos na dramaturgia existencial dos personagens, nos conflitos sociais e políticos”.

“Foi uma rica experiência e concluo este processo seletivo com um sentimento de felicidade por poder entregar uma grade de filmes pernambucanos para uma plateia que, como sempre muito crítica, saberá reconhecer os méritos dos quais exalto aqui”, diz Sandra Bertini, diretora do Cine PE.

Sobre a seleção de longas e curtas nacionais, o crítico Rodrigo Fonseca aponta o tom de valorização do lirismo e do humor. “Vários filmes, mesmo os documentais, estão buscando o lado lúdico e lírico da arte. O coletivo de filmes dessa edição espelha essa tendência, que tenho identificado nos filmes brasileiros desse ano em geral. Uma busca pela leveza do sonhar e pelo humor. Os curtas têm esse mesmo traço de valorização do riso, do sonhar e do imaginar. Esses são os pontos centrais do Cine PE de 2016, que tentou valorizar autores já consagrados, como é o caso de Walter Carvalho, Paloma Rocha e Luiz Rosemberg Filho, e também apontar jovens talentos que gravitam do curta para o longa, como é o caso do Rodrigo Grota, que estreia com a gente seu primeiro filme de fôlego longo, que é o Leste Oeste”, diz Fonseca, que também destaca Das Águas Que Passam, de Diego Zon, que foi exibido na mostra oficial de curtas do Festival de Berlim, a Berlinale Shorts. Entre os longas em competição, três são 100% inéditos no Brasil: Leste Oeste, Guerra do Paraguay e Por Trás do Céu (veja lista completa abaixo).

Troféu Calunga – O Troféu Calunga é oferecido aos vencedores das mostras competitivas de curtas e longas-metragens. A “Calunga” representa a boneca carregada pela sacerdotisa dos cultos afro-brasileiros durante a apresentação do Maracatu. Ela faz parte das cerimônias religiosas, onde recebe o nome de uma princesa e representa uma divindade expressando um objeto de força e proteção. O Troféu Calunga é uma criação da artista plástica Juliana Notari.
Premiações – De acordo com o regulamento do Cine PE, são 12 categorias de prêmios para a Mostra Competitiva de Longas-Metragens: filme, direção, roteiro, fotografia, montagem, edição de som, trilha sonora, direção de arte, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, atriz e ator. Os filmes da Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais serão julgados em dez categorias: filme, direção, roteiro, fotografia, montagem, edição de som, trilha sonora, direção de arte, ator e atriz. Os títulos da Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos disputam a Calunga de filme e direção. Haverá um júri único para todas as categorias – os nomes dos jurados serão divulgados em breve.

Ingressos – Os ingressos para as sessões do 20º Cine PE custarão meia-entrada no valor de R$ 5,00 (preço único). A bilheteria será de responsabilidade do Cinema São Luiz, e o faturamento revertido para a manutenção do espaço. Haverá vendas antecipadas, nas bilheterias do Cinema São Luiz.

Investidores – Apresentação e Patrocínio Máster: Governo do Estado de Pernambuco e BNDES; Patrocínio: Petrobras, Prefeitura da Cidade do Recife e Magazine Luiza. (www.cine-pe.com.br)

OS FILMES EM COMPETIÇÃO NO CINE PE 2016

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS

AS AVENTURAS DO PEQUENO COLOMBO (BRASIL – RJ) – Animação – 88’26” – Direção: Rodrigo Gava
GUERRA DO PARAGUAY (RJ) – Ficção – 80’ – Direção: Luiz Rosemberg Filho
POR TRÁS DO CÉU (SP) – Ficção – 104’ 35” – Direção: Caio Sóh
O PREFEITO (RJ) – Ficção – 70’ – Direção: Bruno Safadi
LESTE OESTE (PR) – Ficção – 86’ – Direção: Rodrigo Grota
DANADO DE BOM (PE) – Documentário – 75’ – Direção: Deby Brennand

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

DAS ÁGUAS QUE PASSAM (ES) – Documentário – 23’ 14” – Direção: Diego Zon
O ÚLTIMO ENGOLERVILHA II (RJ) – Animação– 12’ 45” – Direção: Marão, Ianah Maia, Abacatu, Wesley, Pamella, Guto, Rüsben
O COELHO (RJ) – Ficçâo – 15’ – Direção: Marcello Sampaio
1BRASILEIRO (ES) – Ficçâo – 16’ – Direção: Gustavo Moraes
GRAMATYKA (DF) – Ficçâo– 14’ 34” – Direção: Paloma Rocha
PAULO BRUSCKY (PE) – Documentário – 26’ – Direção: Walter Carvalho
REDEMUNHO (PB) – Ficção – 20’ – Direção: Marcélia Cartaxo
THIS IS NOT A SONG OF HOPE (PE) – Ficção – 23’ – Direção: Daniel Aragão
BOLA PARA SEU DANAU (RJ) – Documentário – 6’32” – Direção: Eduardo Souza Lima

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

SOBERANOS DO CONGO (PE) – Documentário – 21’20’’ – Direção: Raoni Moreno
A VIDA EM UMA VIAGEM (PE) – Ficção – 15’29” – Direção: Tauana Uchôa
MARIA (PE) – Ficção – 13’20” – Direção: Carol Correia
DIVA (PE) – Ficção – 15’45” – Direção: Luiz Rodrigues Jr.
OS FILMES QUE MORAM EM MIM (PE) – Ficção – 13’57” – Direção: Caio Sales
MINHA GELADEIRA PENSA QUE É UM FREEZER (PE) – Ficção – 19’30” – Direção: Pablo Polo
O IMPERADOR DA PEDRA DO REINO (PE) – Documentário – 13’23” – Direção: Houldine Nascimento e Wanderley Andrade
GOSTO DE CARNE (PE) – Documentário – 13’14” – Direção: Álvaro Severo e Everton Maciel
NÃO TEM SÓ MANDACARU (PE) – Documentário – 20’35” – Direção: Tauana Uchôa

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade