X

0 Comentários

Clássicos

Se…

Libelo cinematográfico contra fascismo, vencedor de Cannes, em TV da Assembleia Legislativa de PE

Por Luiz Joaquim | 22.12.2020 (terça-feira)

Em meio a um maremoto de canais streaming, pelos quais navegamos muitas vezes sem norte neste oceano bravio de filmes a nossa disposição ao qual fomos lançados em 2020 há, ao menos, um espaço tradicional e absolutamente gratuito ao qual podemos nos abraçar como a uma tábua segura. Falamos do Cineclube Futura.

Gratuito ao menos para quem está em Pernambuco.

A descoberta foi feita por acaso, na noite do sábado passado (19), zapeando os canais abertos disponíveis ao Grande Recife quando nos deparamos com a transmissão de um certo filme que se passa num internato inglês extremamente rígido, tendo um dos protagonistas, Mick, interpretado por Malcolm McDowell. Falamos de Se… (If…, GB, 1968), a Palma de Ouro de Cannes 1969, dirigida por Lindsay Anderson.

Era o primeiro filme de McDowell, então com 25 anos, e certamente um dos que deixou Stanley Kubrick encorajado a escalá-lo para Laranja mecânica três anos depois. Vamos falar disso mais abaixo.

Importante explicar que o Canal Futura é facilmente acessado por tevê paga, mas em Pernambuco, o programa do Cineclube Futura (do Canal Futura) é retransmitido nas noites de sábado pela TV da Assembleia Legislativa de Pernambuco (a TV ALEPE, canal 10.2).

A surpresa de encontrar um filme como Se… neste espaço foi duplamente interessante. Primeiro por descobrimos uma seleção cinematográfica atraente (e audaciosa) num improvável canal aberto para isto e, segundo, pelo simples fato de que nunca havíamos tido a chance de ver o famoso filme de Lindsay Anderson.

“Descobrir” um belo filme na TV aberta é sempre algo divertido. Algo comparável a encontrar uma pepita de ouro cultural depois de muito peneirar sem esperanças pelo lixo dos canais abertos; ou divertido simplesmente por nos remeter a um passado em que tais pepitas eram fartas nas TVs abertas.

SE… – Muito já se disse sobre o filme de Lindsay, e a sua data e local de nascimento não podem ser desassociados das melhores leituras feitos sobre a obra. Falamos de um nacionalismo exacerbado na Inglaterra do final dos 1960 que não disfarçava uma ideia mesmo de fascismo (soa familiar ao Brasil de 2020?), a qual Se… sintetiza muita bem no microuniverso do internato onde Mick (McDowell) vive com seus colegas. Todos impertinentes, se opondo contra àquele sistema repressor do colégio juvenil, e sofrendo punições por isso, cada vez mais absurdas, até se rebelarem pela mais pura violência. A luta armada.

David Wood, Richard Warwick e Malcolm McDowell em Cena de “Se…”

Num texto publicado no jorna Folha da manhã, em 1970, o crítico Luiz Carlos Merten observou muito bem que “o engajamento da personagem feminina no bar e do estudante homossexual entram como ideia de sexualidade não reprimida”. Já “a mulher andando nua pela escola deserta é a sexualidade reprimida, que só se manifesta em sua absoluta solidão”.

Para além das leituras possíveis de suas entrelinhas, Se… é um delicioso passeio cinematográfico sobre um assustador universo no qual a alegria da juventude naturalmente se esforça para tentar se libertar da opressão mas, sufocada, apela para a força. Se… é excitante e provocador como bons filmes devem ser em determinados momentos de tanta estupidez social.

CINECLUBE FUTURA – A temporada de filmes do Cineclube Futura, que incluiu Se…, foi divulgada em setembro último, e soma 23 títulos. Com apresentação da cineasta Yasmin Thayná, o programa convida o espectador para um bate-papo com convidados ao final da exibição. A temporada começou no 3 de outubro com Esperando pelo super homem, de Davis Guggenheim, e o tema que reúne os 23 filmes dessa temporada é ‘educação’.

Confira a lista completa dos filmes (sinopses abaixo fornecidas pelo site do Canal Futura):

Esperando pelo Super Homem – Através das histórias de cinco famílias, o documentário revela as falhas do sistema de educação pública nos Estados Unidos. Do diretor ganhador do Oscar por Uma Verdade Inconveniente, Davis Guggenheim

Dentro de casa – Germaine é um professor de literatura frustrado, até que ele conhece o talentoso aluno Claude. O estudante escreve super bem, mas se inspira em momentos de intimidade vividos com um colega de classe

Eleições – É época de eleições para o grêmio estudantil. Quatro grupos de estudantes, com opiniões e visões de mundo diferentes, criam propostas, debatem estratégias de campanha e lutam por melhorias na escola

Guiados pelo coração – Marie tem 12 anos e sonha se tornar musicista, mas ela sofre de uma doença que está reduzindo sua visão. Com a ajuda de um amigo ela consegue disfarçar sua dificuldade e fazer a prova do conservatório

Torre de Marfim: A Crise Universitária Americana – O filme mostra como as faculdades norte-americanas adotam um modelo de negócios, com mensalidades cada vez mais altas e empréstimos estudantis atingindo a marca de mais de um trilhão de dólares

Minha vida de abobrinha – O filme conta a história de Abobrinha, um menino de 9 anos que perde a mãe e é encaminhado para um orfanato. Foi indicado ao Oscar de melhor animação e ganhou 2 prêmios no Festival de Cinema de Annecy

Quando o dia chegar – Os irmãos Elmer e Erik são levados a um lar para menores infratores, depois que a mãe deles fica muito doente. O filme se passa em Copenhagen, no final dos anos de 1960, ápice da corrida espacial

Coragem – Felipe se aproxima da música clássica através de um projeto social, onde conhece Diana Ligetti, professora do Conservatório de Paris. O violoncelo leva Felipe da periferia de São Paulo até a França

Nunca te amei – Depois de ser demitido, o amargurado professor Andrew percebe que foi desprezado, tanto na sala de aula, quanto em casa. Um ato de afeto de um aluno lhe dá coragem de retomar as rédeas de sua vida

A escola na nuvem – Qual é o futuro da educação em um mundo conectado? O filme acompanha durante três anos uma experiência criada pelo professor indiano Sugata Mitra, que quer revolucionar o ensino usando a internet

Se… – Malcolm McDowel estrela como o protagonista Mick Travis, um aluno anárquico que não se cansa de desafiar colegas e mestres. Passado em um internato.

 

Sementes do Nosso Quintal – O filme retrata o cotidiano da Te-Arte, uma escola de educação infantil onde a natureza, a música e a cultura popular marcam a rotina das crianças. Um espaço idealizado pela educadora Therezita Pagani

Código de Honra – Depois de conseguir uma bolsa de estudos em Harvard, David Greene (Brendan Fraser), um jovem de classe operária, desperta o interesse de uma bela debutante, mas ela não sabe que ele é judeu

Escola em círculos – Escola em Círculos é um documentário independente que explora a prática de seis escolas democráticas na Holanda. O filme mostra estudantes, professores e funcionários se reunindo para dialogar, discutir propostas, mediar conflitos e tomar decisões sobre a vida escolar. Entretanto essas escolas desafiam não apenas a educação tradicional, mas também o sistema democrático como conhecemos. Elas põem em prática a Sociocracia, um método para a organização coletiva baseado em sistemas auto-reguladores, no qual as decisões são tomadas por consentimento. Escola em Círculos conecta a teoria da Sociocracia à sua prática dentro de escolas, nos levando à novas possibilidades de organização das nossas comunidades

Tarja Branca – As brincadeiras infantis fazem parte de nossa formação social, intelectual e afetiva. Por elas nos socializamos, nos definimos e introjetamos muitos dos hábitos culturais da vida adulta. Todos brincamos na infância e no brincar fomos livres e felizes. Mas será que ainda carregamos essa subjetividade brincante e cultura lúdica vivas dentro de nós? Será que a criança que fomos se orgulharia do adulto em que se transformou? Tarja Branca é um manifesto a importância de continuar sustentando um espírito lúdico, que surge em nossa infância e que o sistema nos impele a abandonar em nossa vida adulta.

A Academia das Musas – Ao voltar de sua aula, um professor de filologia é questionado por sua mulher a respeito de seu novo projeto pedagógico. Ela está desconfiada da abordagem pedagógica que o marido pretende aplicar em sua “Academia das Musas”, um projeto em referências clássicas que promete contribuir para a regeneração do mundo através da poesia. Ele fala de musas, essas figuras capazes de inspirar poetas a criar algo que não existia antes. O polêmico projeto desencadeia uma série de situações dominadas pela palavra e pelo desejo. Do mesmo diretor de “Na cidade de Sylvia”.

Na Escola de Filósofos – As primeiras experiências de cinco crianças com deficiência intelectual ao ingressar na escola, onde terão que aprender a se dar bem com as outras: uma tarefa quase impossível, pois parecem estar fechadas para o mundo exterior. Porém, gradualmente, a turma toma forma diante de nossos olhos, para grande espanto e deleite de seus pais. A aventura de um pequeno grupo de crianças diferentes das outras, que se abrem para a vida e para o mundo.

Respire – A jovem Charlie é imediatamente atraída por Sarah, a nova aluna da escola, uma jovem encantadora e de temperamento difícil. Íntimas, as duas dividem segredos, até que um dia a relação entre elas começa a mudar, podendo gerar consequências trágicas.

Sonho confuciano – Chaoyan é jovem, esposa, mãe e vive com um emprego estável em uma cidade gigante. Sua vida é confortável, mas ela sente um vazio cada vez maior em casa com seu jovem filho Chen, seu marido Mei e sua mãe. Chaoyan conheceu Mei quando ele era um jovem com grandes sonhos. Mas agora, com o foco na estabilidade financeira, ele não é mais assim. Chaoyan descobre ensinamentos antigos que sua geração esqueceu: confucionismo. Diariamente, ela lê e recita mantras sobre moralidade e harmonia e, neles, vê esperança para sua família. Ela insiste que Chen se junte a seus estudos, para que ele possa absorver esses valores desde pequeno. Mei considera seus estudos excessivos, mas relutantemente permite que Chen participe de um acampamento de verão. Chaoyan o pressiona a permitir que o filho frequente uma escola tradicional durante todo o ano, mas ele se recusa firmemente. Divididos em valores diferentes, os conflitos da família se intensificam e seus laços se enfraquecem. Nessa busca zelosa de harmonia, Chaoyan e sua família se vêem chegando a um ponto de ruptura do qual nunca poderão se recuperar.

Quando tudo começa – Daniel Lefebvre é o diretor de um jardim de infância em Hernaing, no norte da França, uma região que antes era próspera, mas agora é atormentada pelo desemprego. Filho de mineiro, ele é apaixonado por seu ensino. Apoiado por um corpo docente dedicado e altamente competente, Daniel trabalha com as crianças para despertar sua curiosidade e expressão e estimular sua criatividade. Uma noite, uma mãe, a sra. Henry, está atrasada para buscar sua filha, Laetitia. Curvando-se para beijar seu filho, ela cai, bêbada, no pátio da escola. Envergonhada, ela foge, deixando Laetitia e seu irmãozinho…

Reach for the sky – a disputa pelas universidades – Todos os anos, na segunda quinta-feira de novembro, a Coréia do Sul inteira é posta à prova. Nesse dia, mais de meio milhão de estudantes do ensino médio participam do Exame da Universidade Nacional, mais conhecido como Suneung. ‘Reach for the SKY’ conta a história de vários alunos do ensino médio sul-coreano, suas famílias e professores, enquanto se preparam para o Exame Nacional anual. O exame não determinará apenas onde os alunos do ensino médio frequentam a universidade, mas também a posição que ocuparão na sociedade hierárquica coreana.

Mandy – Uma bandeja de metal cai no chão, mas a criança no berço permanece imóvel. Os jovens pais não têm mais dúvidas: a filha é surda. Eles concluem que, como Mandy é surda, ela será burra. Se ela não pode ouvir, ela nunca aprenderá a falar. Os pais, Harry e Christine, brigam amargamente sobre a educação da criança. Christine quer mandá-la para uma escola onde crianças surdas são ensinadas a falar e a ler os lábios, mas Harry se recusa. Então Mandy fica em casa até que, depois de uma briga violenta, Christine sai, levando a criança com ela.

Vida, Animada – Indicado ao Oscar em 2017, o filme conta a história de Owen Suskind, um garoto diagnosticado com autismo, que encontrou na animação da Disney um caminho para a linguagem e uma estrutura para dar sentido ao mundo. Vida, Animada discute os desafios de aprendizagem de Owen em meio a seus muitos pontos fortes, e mostra como o cinema animado impactou diretamente sua educação.

 

Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade