X

0 Comentários

Críticas

Lady Bird

Atrações e rejeições de uma adolescente interiorana.

Por Renata Malta | 08.02.2018 (quinta-feira)

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

Christine (Saorise Ronan, eleita melhor atriz coadjuvante pelo 75º Globo de Ouro, 2018), como é chamada pelos pais, rejeita tudo que se vincula a sua origem, a começar pelo seu nome de batismo. “Lady Bird” é como quer ser chamada. O alter ego talvez seja uma analogia tanto óbvia a sua vontade de liberdade no filme Lady Bird: É hora de voar (Lady Bird, EUA, 2017), dirigido por Greta Gerwig e que já pode ser vistos nos cinemas a partir de hoje (8/2).

É 2002, o ultimo ano do colegial numa escola católica de Sacramento, Lady Bird vive questões tipicamente adolescentes: brigas com os pais, notas baixas, rebeldia e romances. Seu caráter e tampouco seus relacionamentos não são simplificadas aos clichés de filmes adolescentes.

A trama é engrenada no desejo da garota de estudar na costa leste do país e todos os empecilhos financeiros e desencorajamentos que recebe de todos que a cercam. Em destaque, a relação inconstante com a mãe Marion (Laurie Metcalf). O drama entre mãe e filha é idêntico aos sentimentos de Lady Bird pela própria cidade, Sacramento, que constantemente alternam-se entre afeto e rejeição. Ainda que querendo o distanciamento, Lady Bird reconhece as virtudes de ambas.

As crises familiares conseguem dividir equilibradamente o tempo com os demais núcleos da história, dando conta da complexidade dos personagens que cercam Christine e situações externas ao conflito principal, como a depressão do pai (Tracy Letts) após a perda do emprego e a tensão gerada pelo terrorismo pós 11 de setembro.

Lady Bird é o primeiro longa-metragem dirigido e escrito por Greta Grewin. O filme que também foi vencedor no Globo de Ouro como Melhor Filme de Comédia ou Musical,  tem cinco indicações ao Oscar 2018 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor,  Melhor Roteiro Original, Melhor Atriz e  Melhor Atriz Coadjuvante. O elenco conta, também, com Timothée Chalamet indicado ao Oscar de Melhor Ator pelo filme Me chame pelo seu nome.

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page
Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade