X

0 Comentários

Festivais

45. Gramado (2017) – abertura

Festival abre com muitas homenagens pela celebração de seus 45 anos, além da exibição de “O Matador”

Por Luiz Joaquim | 19.08.2017 (sábado)

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

*  Texto divulgado pela assessoria de imprensa do festival. Crédito das fotos: Edson Vara / Pressfoto.

Foi uma festa de abertura memorável, como merecia a histórica 45ª edição do Festival de Cinema de Gramado. No fim da tarde de ontem (18), o público presente na Rua Coberta presenciou um espetáculo protagonizado pela Orquestra Sinfônica de Gramado e pelo maestro João Carlos Martins, cuja cine-biografia João, O Maestro, foi o filme hors-concours  exibido no Palácio dos Festivais. O maestro conquistou a plateia de Gramado e circulava pelo tapete vermelho sob aplausos, gritos de fãs e pedidos de fotografia.

“Estou muito honrado de hoje estar à frente dessa orquestra que me emocionou pela qualidade dos músicos e do maestro”, elogiou Martins, antes de iniciar a regência do corpo de instrumentistas.

O público se deleitou com a interpretação da canção tema do filme A Missão (1986), na qual Martins destacou a performance do oboísta Julio César Wagner. Depois de reger a peça, o maestro voltou às suas origens musicais, assumindo o piano.

Considerado virtuose no instrumento desde a infância, ele foi obrigado a parar de tocar após sucessivos acidentes que reduziram os movimentos das mãos. Apesar da limitação, o desempenho de João Carlos Martins mereceu aplausos em cena aberta, após um solo durante a execução da canção-tema de Cinema Paradiso.

O maestro voltou a reverenciar os músicos em várias oportunidades, inclusive quando subiu ao palco principal do Palácio dos Festivais para falar sobre o filme que o retrata: “É uma orquestra que orgulha não só gramadenses e gaúchos, mas todos os brasileiros apreciadores da boa música”.

Outras quatro figuras icônicas do Festival de Cinema de Gramado foram homenageadas na noite de ontem (18). A reverência foi uma forma de reconhecer publicamente a contribuição que essas personalidades deram ao logo da trajetória de 45 anos do mais tradicional festival de cinema do Brasil.

Antes da exibição do filme O Matador, de Marcelo Galvão (de Colegas, vencedor da 40ª edição de Gramado), o ex-presidente do festival Esdras Rubim, o ex-diretor do Cinema Embaixador – atual Palácio dos Festivais – Odilon Cardoso, o idealizador do evento Romeu Dutra e o patrono do festival, Hosrt Volk, receberam placas de agradecimento pelo empenho em levar à cabo a iniciativa.

Odilon Cardoso, já falecido, foi representado pelo filho Thomas.

Marcelo Galvão, de “O Matador”, com elenco feminino.

MAIS HOMENAGENS  – Outras oito personalidades que estão vinculadas a trajetória de 45 anos do Festival de Cinema de Gramado vão subir ao palco para receber homenagens.

Do meio técnico do cinema estão os atores Araci Esteves e Paulo Autran (in memorian), os produtores Lucy e Luiz Carlos Barreto, a cineasta Mônica Schmiedt , o técnico de luz Wilton Soares Martins e o distribuidor Oswaldo Massaini. Também estão na lista o jornalista e crítico Luiz Carlos Merten e Alice Gonzaga, pesquisadora, produtora, diretora e empresária.

E haverá ainda as quatro homenagens tradicionais do festival – o primeiro troféu, Eduardo Abelin, será entregue na noite de hoje (19) para o animador gaúcho Otto Guerra.

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page
Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade